Asics Gel – Fuji Racer 3

Sempre oriento quem está começando nas trilhas a escolher um tênis adequado ao que vai enfrentar. O modelo Asics Gel – Fuji Racer 3 tem tudo o que um corredor eventual de trilhas precisa e, na minha opinião, também serve para os corredores experientes em provas de desempenho, por ser muito leve para um modelo de trilha, aproximadamente 260gr.

Ele tem cravos altos, que parecem durar muito e render boa tração nas trilhas com barro, bico reforçado contra tropeções, tudo na medida, sem exageros. A sola é baixa, o que dá mais estabilidade, mas é um pouco dura, pois para ganhar em leveza tem que perder em amortecimento, pessoalmente não achei isso negativo, é só uma característica deste modelo, o drop é baixo e a palmilha tem pequenos furinhos embaixo, que acomoda pequenas pedrinhas sem te obrigar a parar para tirar durante uma corrida. O cabedal é bem arejado, mas não a ponto de deixar entrar areia ou barro com facilidade, o calcanhar é firme e não deixa o pé deformar o calçado ao correr. O cadarço pode ficar protegido na língua do tênis.

O que mais gostei nele foi a leveza, os cravos salientes e a sola com boa durabilidade e apenas um detalhe me fez torcer o nariz, alguns furos no ante pé, para facilitar a flexibilidade da sola, pode acumular barro numa prova mais chuvosa. Ainda falta rodagem para poder detalhar mais pontos, mas por enquanto está agradando.

Preço sugerido R$399

Depois dos 100km de corrida:

  • O tênis parece novo, o solado não tem sinais de desgaste, os furos na lateral do antepé drenam água, mas também molham mais fácil ao passar por uma poça raza, mas de forma geral esse ponto negativo não concorre com os vários pontos positivos. Já fiz algumas provas importantes com ele sem me decepcionar, como:
  • 67km Ultra Trail Torres del Paine – Chile 09/2014 (leia o texto)

Depois de 300km rodados:

  • Ainda está por vir…

Enzo Amato

Skechers GobionicTrail

Há uns anos atrás acreditava que as únicas inovações dos tênis de corrida seriam trocar as cores, porém para minha sorte, percebi que depois do livro “Nascidos para correr” o movimento de “simplificar” os tênis tomou muito mais forma e isso só vem me surpreendendo.

Recebi da Skechers, marca americana de calçados, o modelo da linha Gobionic Trail. Já testei e deixo aqui minha opinião.

O que me chamou atenção ao tirar da caixa:

  • É bem leve para um tênis de trilha;
  • O solado e fôrma mais largos, o que faz ter mais área de contato e distribuir melhor o peso;
  • 2 em 1, é possível correr com a palmilha e ter 4mm de drop ou também sem ela para ter drop 0mm. (drop é a diferença de altura entre o calcanhar e o ante pé);
  • O solado favorece a pisada com o meio do pé, ou pé inteiro, não existe a parte côncava no meio da sola e isso ainda favorece a aderência;
  • Os cravos tem ranhuras multidirecionais.

O que me deixou preocupado:

  • Se tivesse mais cravos aumentaria a durabilidade da sola.

Ao correr:

Corri numa trilha por 3 horas logo na estreia, não é preciso amaciar, passei por chão batido, pedras soltas e lama. Me senti muito bem com ele e a todo instante fazia comparações com meu outro tênis de trilha, mais reforçado, pensando nas características que me fazem gostar dele, e não senti diferenças consideráveis, a não ser pela leveza, 227gr. que se torna um ponto muito positivo numa prova longa. Não peguei chuva nem passei por mata fechada ou areia neste teste. Esses primeiros 30km me encantaram! O solado mostrou um pequeno sinal de desgaste nas ranhuras, mas ainda é cedo para falar sobre durabilidade, depois de uma ou duas centenas de kms volto a escrever sobre ele.

Para quem pretende começar a mudar a técnica e passar a aterrizar usando o meio e a frente do pé, esse é uma boa pedida e vale entrar na lista de comparações.

Nunca havia usado um tênis dessa marca, a primeira impressão foi ótima e usá-lo nas trilhas melhor ainda! Certamente usaria em provas importantes no meu calendário, por ser leve, confortável para meu pé, ter drop baixo mas não ter a sola dura, ser bonito e trilheiro.

Depois dos 100km de corrida:

Minha única decepção foi o rápido desgaste da sola, ela ainda vai durar, mas com 100km queria que ainda estivesse com cara de nova, tá certo que usei em trilhas difíceis, mas ele continua muito confortável no meu pé por ter a fôrma larga e sem deformações. Usei nas seguintes provas até agora:

  • 80km Fiambala Desert Trail  – Argentina 05/2014 (Leia o texto) corrida toda por areia, esse é o melhor terreno para esse modelo, por ter grande área de contato com o solo não te deixa afundar demais e perder energia.
  • 30km Kailash Trail Run – MG 03/2014 (Leia o texto) corrida mais técnica que já fiz, duríssima, e o tênis se saiu bem.

Depois dos 300km de corrida: Está por vir…

Enzo Amato