+ Livros inspiradores.

No primeiro texto sobre livros coloquei vários que me agradaram, agora deixo alguns que me acompanharam em 2013 que valem a recomendação e servem também de presente de natal.

Infiel – Ayaan Hirsi Ali. História da mulher que foi criada como muçulmana, mas ao longo da vida se colocou a questionar, a conhecer e reavaliar valores. Esse é o livro que qualquer pessoa que respeita as mulheres deveria ler para entender um pouco como o mundo do século 21 ainda é bem atrasado em alguns lugares.

A expedição Kon-Tiki – Thor Heyerdahl. Palavras de Amyr Klink na orelha do livro “Obra prima de reconstituição pré-histórica, A expedição Kon-Tiki transformou-se em um dos maiores clássicos das ‘aventuras científicas’ e no mais expressivo exemplo de que o homem moderno ainda subestima o talento de seus antepassados.”

No teto do mundo – Rodrigo Raineri com Diogo Schelp. Conta as aventuras e principalmente as tentativas de cume no Everest e a perda do amigo Vitor Negrete para a montanha. Muitos desafios, perseverança e superação.

O Leão da Toscana – Aili e Andres McConnon. A vida de um dos maiores ciclistas da história e todas as dificuldades de viver durante a guerra, emocionante e viciante.

Vida nômade – Robison Portioli. Um jovem que resolveu conhecer a América do Sul na sua moto 250cc, ao longo da história ele conta passagens da sua infância onde viveu por mais de 3 anos com a família num motorhome conhecendo o Brasil.

Sempre convido a ler a orelha do livro que é sempre mais informativa e completa, as linhas que coloquei acima são apenas minhas opiniões.

Se tiver alguma sugestão de leitura basta deixar um comentário que é muito bem vindo.

Enzo Amato

O Leão da Toscana (livro)

O Leão da Toscana – Aili e Andres McConnon

Editora Zahar

Biografia de Gino Bartali.

Um dos livros mais viciantes que já li, que adiciona fatos da época e conta a história pessoal de Gino antes, durante e pós guerra, na Itália de Mussolini. Conta como a política fascista interferiu no esporte e na vida de quem era contra o regime ou perseguido por ele, como Gino ajudou a transportar documentos falsos pelo país durante a 2ª guerra, quando já era famoso por sua conquista do Tour de France de 1938.

Como a bicicleta na Itália se tornou parte da vida das pessoas no pós guerra sem estradas ou transporte público, e que em 1947 haviam 3,5 milhões de bicicletas rodando e apenas 184 mil carros já que um compacto custava 11x mais o que custa hoje. Conta que bem antes disso, o Tour de France havia sido criado para vender mais jornais, e que em 1948, 38% da população francesa saiu às ruas para assistir ao Tour. (algo que nenhuma Copa ou olimpíada vai alcançar)

Enfim, é um livro repleto de fatos curiosos e históricos dentro de uma emocionante história de vida, que também inclui o esporte.

Sou fã de livros que contam histórias reais, particularmente deste, porque foi na época que meu avô viveu e que meu pai passou a infância antes de imigrarem para o Brasil.

Recomendo a todo fã de ciclismo ou a quem goste de uma boa história.

Enzo Amato