Artigos e notícias

Ganho de peso sem comprometer a saúde. – 26/07/2016

Artigos e notícias – Voltar para "Nutrição"Voltar para artigos e notícias

 

Em meio a tantas dietas novas que surgem todos os dias para perder peso, há quem procure receitas e dicas para ganhar massa muscular. Enquanto para muito cuidar do corpo significa emagrecer, existem muitas pessoas que preferem ganhar massa e, de preferência, de forma que seja bem distribuído e, principalmente, que não altere a saúde. Para isso, é fundamental que a alimentação seja bem equilibrada e complemente as necessidades que cada indivíduo necessita para ganhar peso de forma adequada.

Segundo a nutricionista comportamental, Patrícia Cruz, algumas pessoas são geneticamente magras e mesmo vivendo em um ambiente obesogênico, não vão ganhar peso. Porém, esse número de pessoas é reduzido. O que ocorre, normalmente, entre a população que está abaixo do peso é um estilo de vida incompatível com o ganho de peso. “Geralmente esses indivíduos passam longos períodos em jejum, omitem refeições, têm porções diminutas nos pratos, exercícios intensos, inapetência,normalmente, no período da manhã. Hábitos que levam a manutenção do baixo peso”, explica Patrícia.

Como saber se é preciso ganhar peso?

Uma das ferramentas para saber se é necessário o ganho de peso é o IMC, geralmente valores abaixo de 18,5 são chamados de baixo peso e, em alguns casos, pode representar risco para saúde. Outra forma é se a pessoaestá confortável com sua forma física, nesse caso o ganho de peso deve ser ponderado de forma saudável.

O organismo de quem tem dificuldade para ganhar peso

O organismo da pessoa magra apresenta melhor funcionamento entre os centros da fome e saciedade.  Patrícia comenta que alguns estudos mostram que indivíduos magros apresentammaior concentração da leptina e receptores – hormônio que promove a redução da ingestão alimentar e aumento do gasto energético.

Ganho de peso de forma saudável

Primeiro o ganho de peso saudável deve ser acompanhado de 1 %menor de tecido adiposo e restante de massa muscular. Para tanto, devemos associar dieta saudável com prática de atividade física.  Em relação aos alimentos, Patrícia indica que pode serfeita uma distribuição normal de macro nutrientes, alimentos necessários ao organismo diariamente em grande quantidade. “O ideal seria em torno de 55 a 60% de carboidratos, 15% de proteínas e 25 a 30% de gordura, além de vitaminas e minerais”, recomenda.

Todos os alimentos são bem vindos, desde os alimentos fontes de carboidratos como pães, arroz integral, cereais matinais às fontes de proteína como carnes, frango, peixes. As gorduras são indicadas, mas com cuidados. Patrícia alerta para atentar-se à redução das saturadas e trans. Também é preciso aumentar o consumo de frutas e vegetais folhosos além de alimentos fontes de cálcio (leite e derivados).

Dieta para ganhar de peso e sua vantagens

Patrícia Cruz indica uma dieta hipercalórica. Normalmente, elas costumam ser restritas do ponto de vista do controle excessivo em relação ao horário; número de refeições; tamanho de porções e, muitas vezes, podem ultrapassar a saciedade do paciente. Nessas dietas também pode ser utilizado algum suplemento hipercalórico.

As vantagens dependem do quadro clínico do paciente. Patrícia revela que elaspodem ser inúmeras: desde melhor aceitação da forma física, até prevenção ou melhora de alguns quadros, como desnutrição, sarcopenia, osteopenia, osteoporose entre outros. 

Fonte: Visão Estratégica Comunicação / Foto: Shutterstock

Ferramentas

2013 © Midia Sport - Todos os direitos reservados | Política de privacidade | Termos de uso