K42 Bombinhas (12km)

Por Paula Di Luciano

É incrível como o tempo parece passar muito mais rápido quando se corre em trilha ou montanha do que na paisagem urbana. O K42 em Bombinhas foi minha primeira prova de 12Km e também meus primeiros 12Km em trilha e realmente gostei muito!

A corrida larga na praia junto com os competidores dos 42K e depois de subir atravessando a pequena cidade os 2 grupos de corredores se dividem. Daí em diante, nós corredores dos 12K pegamos novamente a praia para depois sim irmos em direção a parte mais alta de um dos morros, fazer outro trecho na areia e depois subir novamente na trilha e aparecer entre as pedras um pouco escorregadias, por conta do clima, novamente na praia.

Mesmo no dia nublando a paisagem é linda demais especialmente no alto do morro, nessa hora me arrependi de não ter uma câmera de fotos comigo…
A organização foi muito atenciosa e sempre disposta a ajudar, para os 12K tinham 2 postos de hidratação que foram suficientes, pelas dúvidas eu levava o cinto de hidratação que até esqueci que estava usando, ou seja, nem precisei beber, como não fazia calor não foi preciso.
Em relação ao lixo, achei legal que colocaram as lixeiras uns 100 metros depois dos pontos de hidratação, apesar disso sempre tem algumas pessoas que mesmo na trilha jogam alguma coisa. Mas achei mais legal ainda a mudança que terá no regulamento a partir do K21 de Pedra Azul no Espírito Santo, onde não serão mais fornecidos copos d’água e os postos serão de reabastecimento, além disso foi incluído no código de ética do trail runner a punição com 30 minutos de acréscimo no seu tempo final ao atleta que for pego jogando lixo no chão. Pena que seja preciso chegar ao ponto de colocar punição para as pessoas se tocarem e forçá-las a virarem responsáveis com o meio ambiente.
Tomara que o próximo ano possa participar novamente em Bombinhas e dos próximos eventos do K21series!

 

K42 Bombinhas 2013, pensando em 2014.

Comprovei que é a mais bela e desafiadora maratona no Brasil. Temperatura amena, muitas subidas, descidas, lama, mata atlântica, praias, o visual da natureza exuberante e muita gente bonita, confirmam a fama.

Já li vários textos sobre a K42, por isso não vou fazer mais um, prefiro deixar orientações para os que farão ano que vem.

Aprendi que a K42 se corre com estratégia e cabeça no lugar. Numa prova curta podemos até ir a toda velocidade, mas não aqui. A variação de inclinação e percurso é muito grande e constante, e sendo a prova desafiadora como é, temos que fazer o possível para o corpo não sentir os extremos e correr da forma mais equilibrada / regular possível.

Como?

Batimentos controlados e percepção de esforço sempre igual seja qual for o terreno, ou seja, devagar nas subidas, moderado no plano e rápido nas descidas, caso não comprometa a segurança, no caso da K42, devagar nas descidas também. O batimento cardíaco é um bom parâmetro ao invés de se preocupar com ritmo por km.

Careta assustadora como o degrau.

Nas trilhas o mais fácil é subir, se estiver cansado vai ter que subir devagar e pronto, mas as descidas castigam muito mais, por isso procure flexionar um pouco os joelhos nas descidas mais ingrimes, isso dá mais estabilidade, mas não significa 100% dela. Não dê grandes saltos ou passadas largas nas descidas, isso vai te cansar mais, além de ser perigoso. Recomendo os tênis de trilha, mas ainda é comum ver pessoas com os tênis convencionais. Todos completamos, mas talvez eu tenha escorregado um pouco menos.

Apesar dos vários postos de hidratação acabei sentindo sede em alguns trechos e ter levado uma mochila de hidratação ou um cinto, como sugeriram os organizadores, teria ajudado. Apesar da forte recomendação de jogar o lixo no lixo e ter cestos logo após os postos, vi muito rastro de corredor porco nas trilhas, e já acho mais conveniente as corridas em trilha não entregarem copos d’água pelo bem do local que estamos usando para correr. Pagar inscrição não dá direito a descartar lixo em qualquer lugar.

Não havia mata fechada ou single tracks com risco de arranhar as pernas, por isso usar calça só resolveria se estivesse frio mesmo. Fui de short e camiseta regata.

Para proteger os pés usei esparadrapo nas áreas de maior atrito, vaselina nas pontas dos dedos e polvilho granado para manter os pés secos por um pouco mais de tempo. 2 pares de meia, a 1ª de poliamida, a outra mais grossa. Meus pés ficam mais confortáveis, porém ao entrar na água ficam mais pesados. Tomar banho antes da largada vai deixar seus pés mais sensíveis e com alto risco de causar bolhas. Banho no máximo na noite anterior.

A prova começou com garoa e mesmo assim passei protetor solar, em provas longas o clima pode mudar durante a prova e em Bombinhas foi exatamente o que aconteceu. Um boné sempre ajuda caso um galho apareça enquanto você olha pro chão. Apesar de eu não ter usado e não ter passado por lugares com vegetação tão fechada.

Os primeiros colocados levam cerca de 40% mais tempo para concluir a K42 se comparado a uma prova no asfalto, para os amadores percentualmente o valor é menor, mas pode contar algumas horas a mais da sua melhor corrida no asfalto.

No vídeo fica mais fácil de ver como é a prova, a paisagem e a fama que a K42 tem. Levei 5h13 e podia ter sido muito mais porque o visual é hipnotizante e dá vontade de parar e respirar fundo antes de continuar. Feliz por ter conhecido mais um canto do meu lindo país. Espero você lá ano que vem!

Se você fez a prova e quer deixar sua contribuição para os que farão ano que vem, será muito bem vinda.

Enzo Amato.

K42 Bombinhas

5° Vila do Farol K42 Bombinhas

Números oficiais

Total de 1000 atletas, sendo:

  • 953 brasileiros
  • 47 estrangeiros ( Argentina, Chile, França, Itália, Peru, Uruguai)

Estados representados

  • 340 Paraná
  • 234 São Paulo
  • 165 Santa Catarina
  • 80 Rio de Janeiro
  • 54 Rio Grande do Sul
  • 80 divididos entre (Amazonas, Bahia, Distrito Federal, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Pernambuco, Piauí).

Tenho certeza que será uma grande festa regado a muito desafio físico e lindas paisagens. Veja o site da prova!

Aguarde as novidades, vou gravar e contar como foi.

Enzo Amato.