K21 San Juan – Argentina

Por Paula Di Luciano

Em San Juan o sol brilha mais de 300 dias ao ano e o nível anual de chuva não passa dos 250 mm, (no sudeste do Brasil é mais de 1500mm) mas no dia da corrida o sol não quis aparecer e o frio foi uma barreira a mais, pelo menos pra mim, que sou sanjuanina, mas já tenho termômetro brasileiro.

Dia de treino no percurso dos 21km, com o sol já conhecido.

A temperatura não superava os 5 graus na hora da largada da segunda edição do K21 San Juan que, apesar do frio já esperado por ser inverno, reuniu mais de 600 competidores no Dique de Ullum a uma distância de 14 km da cidade de San Juan, que fica na pré Cordilhera dos Andes, 1400 km a oeste de Buenos Aires, 160 km ao norte de Mendoza e também produz bons vinhos, porém menos exportados.

A corrida tinha dois circuitos, 21Km e de 10Km (claro que eu fiz o de 10!), ambos largaram às 11 da manhã de um dos clubes de campo que fica à beira do dique. Com paisagem desértica o percurso fazia os competidores transitarem por rios secos e cerros (morros), com apenas 3 km de asfalto, quem fez os 21k teve muito para se entreter subindo e descendo entre as montanhas do vale, chegando a uma altura de 1.051 metros passando por lugares desafiadores, e para completar, lá em cima caía o que chamamos de “água nieve” que é a chuva congelada, ou seja, estava frio mesmo!

Durante o percurso, todos com a camiseta da prova por cima das roupas de frio.

As pessoas que moram em San Juan estão acostumadas com os circuitos de montanha, a maioria dos grupos treinam naquela área, mas tinham também pessoas de diferentes partes da Argentina que acharam o circuito muito exigente, ao mesmo tempo que estavam maravilhadas com a paisagem. Pra se ter ideia da dificuldade, os primeiros colocados nos 21km masculino e feminino respectivamente completaram o percurso em 1h45 e 2h16. Eu que faço 10km no asfalto em 1h, levei 1h50.

O primeiro posto de hidratação estava no km 5, e o segundo no km 7, eu não senti sede, talvez porque não tinha sol, nem calor,  mas se tivesse água antes teria tomado, acho que eu era das poucas pessoas que não levava um cinto com garrafinhas d’água, no caso dos 21k todos os corredores levavam cinto ou mochila. A água que nos davam parecia recém tirada da geladeira, mas na verdade estava na temperatura ambiente.

Na vestimenta quase todas as pessoas usavam uma primeira pele de manga comprida, boné, ou cuellito(bandana) que a organização fornecia, a camiseta da prova, e alguns também um corta vento. Eu não cheguei a sentir calor, só tinha uma camiseta manga comprida de poliamida e a camiseta da prova, realmente o sol fez falta ou mais agasalho. Todas as pessoas pareciam muito bem equipadas para o frio, eu achei que iria esquentar durante a corrida, mas isso não aconteceu e poderia ter levado uma primeira pele ou um corta vento.

Cada kit esperando por seu corredor.

A retirada do kit foi no dia anterior a prova em um hotel da cidade, e muitas pessoas fizeram sua inscrição de última hora no próprio local. No domingo, às 10h30, antes da largada teve uma pequena palestra técnica, que eu não escutei porque estava na fila do banheiro feminino, rsrs…

Minha amiga de infancia Anheli, já agasalhada, e eu logo após terminarmos a prova com um improvável céu nublado em San Juan.

Via enfermeiros da Cruz Vermelha e uma equipe reforçada de colaboradores na parte alta do circuito de 21Km. Frutas e gatorade a disposi na chegada.

Foi minha primeira corrida fora de estrada e adorei, os percursos desafiaram tanto os experientes quanto os novatos, como eu. Os organizadores estiveram sempre presentes e prestativos.

Para chegar em San Juan desde São Paulo, basta fazer conexão em Buenos Aires, e o voo Buenos Aires – San Juan dura 1h40. Outra opção é desde Mendoza pegar um carro, são aproximadamente 2 horas dirigindo pela Ruta 40. Nos arredores da cidade é possível visitar vinícolas e estabelecimentos onde se elabora azeite de oliva.

Quem tiver interesse em um circuito similar de montanha, no próximo 29 de setembro acontece a quarta edição do K21 San Rafael, ao sul da província de Mendoza, com uma temperatura mais amena por já ser na primavera.

Em breve o vídeo da prova estará disponível aqui no blog e no MidiaSport.

Paula Di Luciano

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>