Ironman BRA 2013, crônica Isaac.

Relato de um atleta amador, sobre os meses que antecederam uma das maiores provas de Triathlon do mundo.

Por Isaac Razzante Junior

O que dizer de uma prova tão longa e ao mesmo tempo tão curta?

O meu primeiro Ironman foi sensacional. Pena que acabou tão rápido. Foram 14 horas e 16 minutos de atividade física ininterrupta, com 3,8km de natação, 180km de ciclismo e para completar, uma maratona de 42,2km de corrida.

Pratico triathlon desde 2011, quando fiz o meu primeiro simulado de Triathlon na Estrada Velha de Santos, próximo ao Clube da GM no Riacho Grande, em São Bernardo do Campo – SP.

De lá para cá, os desafios começaram a tomar dimensões muito grandes, até que no ano de 2012 fui assistir a uma edição do Ironman Brasil em Florianópolis – SC. Ao sair daquela prova, que eu havia apenas assistido, já pensei comigo: “Um dia vou fazer uma prova dessas”, mas não sabia que seria logo no ano seguinte.

Da esq. Zé Renato, Enzo de vermelho, Luciano, Witney, Edu, Piru, Gustavo, Isaac, Léo, Ale e Rafa Dutra

As inscrições para o Ironman são feitas na semana seguinte da prova, ou seja, você se inscreve em 2012 para participar em 2013 e assim por diante. Naquela semana de 2012, eu ainda estava encantado com a prova que eu havia assistido, e os comentários fora do trabalho e em casa, era somente aquela prova.

Na quarta feira eu fui correr um pouco no parque Chico Mendes com meu amigo Luciano e conversando com ele, eu disse: “Vamos fazer a inscrição para o Ironman 2013?” Teríamos um ano para nos preparar e apenas 2 dias para decidir em fazer ou não aquela inscrição, que seria na sexta feira. A princípio achamos loucura, mas concordamos e estávamos certos de fazer aquela inscrição.

E foi o que fizemos. Abriram as inscrições e fizemos nossa inscrição tranquilamente, sem saber que elas iriam terminar em apenas 19 minutos, isso mesmo, 19 minutos foi o tempo que as 2200 inscrições para o Ironman Brasil 2013 se esgotaram.

Pronto, estávamos inscritos. Faltava a parte mais difícil agora, que era treinar.

Nosso treinador, Enzo Amato, que já havia participado de 7 Ironman, e tinha uma equipe de treino foi quem pegou o desafio de nos preparar para cruzarmos a linha de chegada.

Em julho começamos a treinar para a nossa primeira prova longa que seria o Long Distance. Essencial para saber a sensação de uma prova de longa duração, que aconteceu no mês de Novembro, na cidade de Pirassununga, no interior de São Paulo.

Foram 4 meses de treinamento intenso para participar dessa prova, visto que nunca tínhamos feito nem sequer uma maratona. A data chegou. Fomos para Pirassununga para completar nosso primeiro desafio antes do Ironman. E foi sensacional. Tivemos uma experiência muito boa com essa prova. Aprendemos com nossos erros e saímos mais confiantes para o que estava nos esperando em maio do próximo ano.

Os treinos continuaram sem parar, mantendo o volume de treino semanal, muita musculação, natação, corrida e ciclismo.

Em Janeiro de 2013 começamos a treinar efetivamente para o Ironman 2013. Já tínhamos um volume bom de treino, só faltava aumentar ainda mais o volume para ganhar resistência para completar nosso próximo desafio no mês de Maio.

Juntamente com o treinador esportivo, tínhamos um acompanhamento nutricional, feito pela Vanessa Pimentel, que nos fez perder o excesso de peso e nos ajudou a completar a prova com uma boa alimentação e saúde.

Nosso grupo de treino era composto por 10 atletas que participariam do Ironman, sendo que 2 deles já eram veteranos. Além do acompanhamento físico e nutricional, tínhamos também acompanhamento psicológico em grupo, feito pelo Rafa Dutra, que nos ajudou a criar um grupo forte para superar as dificuldades físicas e mentais durante todo o processo de preparação, e da prova em si.

Além de todo esse acompanhamento, o mais importante e essencial durante toda essa preparação, foi o apoio da família. Sempre tive o apoio da minha esposa e dos meus filhos. Desde a inscrição até a passagem pelo pórtico de chegada.

Bom, chegamos à semana da prova. Dia 22 de Maio, estava eu e meus amigos Eduardo Anjos e Leonardo Coriteac, com mais 3 bicicletas e um monte de malas e utilidades que usaríamos durante a prova, seguindo viagem de carro para Florianópolis.

Saímos de São Paulo às 5 horas da manhã e pegamos estrada sem amanhecer ainda. Foram quase 800 quilômetros percorridos até chegarmos à Ilha de Florianópolis em Santa Catarina. O ar que respiramos daquele lugar já é um ar do esporte. Várias pessoas correndo nas ruas, as pessoas andando de bicicleta, experimentando suas máquinas, foi muito bom tudo aquilo.

Na quinta feira tivemos nosso primeiro contato com a prova, aonde fomos retirar o kit do atleta e as sacolas que usaríamos no dia da prova. Além da retirada do kit, nesse dia fizemos um treino oficial de natação, onde saímos do local da largada da prova, e nadamos até a primeira boia localizada a 900 metros da praia, esse treino, para mim, foi essencial, pois sempre fui muito receoso com o mar, e estava ansioso para saber como seria chegar naquela tão sonhada boia, e posso afirmar, foi sensacional!

Sábado foi o dia que fizemos o bike check in, onde entregamos nossa bicicleta e as sacolas contendo as roupas e tudo que usaríamos no dia seguinte durante a prova, como tênis de corrida, capacete para a bicicleta e os outros equipamentos.

O grande dia chegou! 26 de Maio às 4:00 da manhã, meu despertador tocou. Era hora de aproveitar um dia de muita adrenalina e colocar em prática tudo aquilo que havia treinado durante meses.

Tomei meu café tranquilo, me troquei, dei um beijo carinhoso nos meus filhos e esposa, que ficaram no hotel, e partimos para a praia, onde estava toda a estrutura arrumada para a prova. Chegando lá, verifiquei se estava tudo certo com a minha bicicleta, se não havia nenhum pneu furado, e fui para a tenda de troca, onde fui vestir minha roupa de borracha, para ir para a área de largada. Pronto, trocado e ansioso para ouvir o som da buzina que daria o inicio da diversão.

Todo nosso grupo se encaminhou para a praia e tiramos nossa ultima foto antes da prova, todo mundo junto com treinador e psicólogo.

Entramos na área da largada, que é restrita aos atletas, e faltando apenas alguns minutos para as 7 horas da manhã, horário oficial da largada, o sol começou a nascer atrás do morro que fica posicionado a direita da praia. Uma cena inesquecível, ver o sol refletindo no mar, todo aquele clima bom, todos respirando a prova.

Uma recordação para a vida toda sei que vou levar daquele momento.

Dada a largada. Mais de 2 mil atletas juntos para viver uma das maiores provas de triathlon do mundo.

Como não sou um bom nadador, fiz minha largada tranquila. Esperei a maioria dos atletas entrar na água e aí sim me posicionei para começar a minha natação. Aquela água gelada logo se aqueceu, muitos braços e pernas batendo ao mesmo momento, e eu não conseguia conter a emoção. Fazer parte daquela prova era algo grandioso.

Cheguei à primeira boia, 950 metros mar adentro. Fiquei contente, pois olhei no meu cronometro e estava com o tempo dentro do planejado. Parti para voltar à praia com o meu nado tranquilo e aproveitando ao máximo todo aquele mar, que nesse dia, era exclusivo meu e daqueles atletas.

Após 1h24, terminei a natação e parti para a transição, aonde peguei a bicicleta para começar os 180km de pedalada. Se durante 180Km percorridos de carro, acontece muita coisa, imagine de bicicleta!!! Comecei a pedalar e ainda não era 9 horas da manhã. O sol ainda estava ameno e eu estava muito bem fisicamente. Preparado e confiante.

A cada quilômetro percorrido, era uma vitória para minha prova. Presenciei muita coisa durante esses 180 km, como gente passando mal na beira da estrada, ciclista caindo por um descuido, muitos pneus furados, mas vi muita coisa boa também. A torcida na cidade é geral. Todos se mobilizam nas ruas para torcer pelos atletas que estão participando da prova e isso dá uma força enorme. As vezes as pessoas gritam seu nome, te dando incentivo e força para continuar pedalando. Isso me ajudou muito. Após 90 km terminei a primeira volta de ciclismo e essa volta passava pela parte de transição, onde pude, após 3 horas pedalando, ver alguns rostos conhecidos, como do meu amigo Alexandre Gaziola e Enzo Amato, que me incentivaram e deram mais um pouco de força.

A segunda volta da bicicleta foi muito difícil de completar. O vento estava jogando contra em todo o percurso, as subidas pareciam maiores, já não se via tantas pessoas na rua, pois estávamos na hora do almoço, e claro, o cansaço de tudo o que já havia feito estava pesando bastante, mas como tudo uma hora acaba, o meu percurso de ciclismo também acabou. Após 6h37, finalizei os 180 quilômetros do Ironman 2013.

Exausto, sim,mas confiante e ansioso para começar a minha maratona. Pronto, tênis calçado e vamos correr 42.2km até o pórtico de chegada. Comecei minha corrida muito tranquila, tentando manter um ritmo confortável para aguentar a corrida inteira sem precisar andar. Essa era a minha meta, que treinei durante meses.

No quilometro 13 aproximadamente, o percurso de corrida passava em frente ao hotel que eu e minha família estávamos hospedados. Aproveitei e parei para dar um beijo e um abraço na esposa e nos filhos, que já estavam na porta do hotel me aguardando. Como o retorno da corrida era logo em 200 metros à frente, dei a mão para o meu filho Lucas de 8 anos e corremos juntos esses 200 metros. Ver a alegria dele naquele momento foi sensacional. Mais uma parada para beijos e abraços e vamos continuar a corrida.

Terminei a primeira volta de 21k, peguei a primeira pulseira de identificação da volta e fui correr o restante da maratona. Nessa hora, quase 6 da tarde, e 11h de prova, a temperatura já havia caído muito, o sol já havia se recolhido e eu tinha ainda 21 km pela frente. No quilômetro 23 encontrei o Luciano Capas, que estava num ritmo menor que o meu, emparelhei com ele, trocamos algumas palavras e eu segui minha corrida.

Não passaram nem 500 metros, ele me alcançou, disse que iria me acompanhar, para um dar forças para o outro. Concordei com ele, pois sabia que tinha muito chão pela frente ainda e uma companhia na corrida seria muito bem vinda. No quilômetro 27 comecei a sentir dores no joelho esquerdo e começamos a andar um pouco para ver se a dor passava. Doce ilusão, ela não passou,andamos por volta de 5 quilômetros direto, já sentindo um pouco de frio, quando nosso amigo Leonardo Coriteac nos alcançou. Ele estava muito bem na corrida e dissemos para ele seguir em frente para não perder o ritmo, mas ele optou por dar uma força pra gente e acabou nos acompanhando na caminhada.

Andamos por mais 2 quilômetros e decidimos recomeçar a correr bem leve, tentando elevar novamente a temperatura do corpo e das articulações, que já reclamavam muito naquele momento. De passo em passo, nos vimos correndo novamente, é verdade, com num ritmo bem leve, mas estávamos correndo. Já estávamos nos km 35 quando a dor aliviou e só faltavam 7km para completar a tão sonhada maratona do Ironman.

Seguimos lado a lado, até o final. Entramos na Avenida Búzios, que é a avenida principal de Jurerê Internacional. No final dessa avenida estava a nossa vitória. Faltavam apenas 3 quilômetros para completar a prova.

Foram os 3km mais longos e ao mesmo tempo mais curtos da minha vida. Tanta coisa passou na minha mente nesses minutos finais, tantas pessoas curtindo, vibrando pelo caminho, dando força e gritando nosso nome, nos dando parabéns.

Até que, faltando alguns metros para entrar no corredor que levava ao pórtico de chegada, eu encontrei a minha esposa e meus filhos, que me aguardavam ansiosos, para que juntos passássemos o pórtico de chegada e eu pudesse vibrar com aquele novo título que eu estaria recebendo, de ser um Ironman.

Família reunida para cruzar o pórtico de chegada!

Beijei minha esposa, agradeci a ela por estar me suportando por todos aqueles meses de treino e durante toda a prova. Beijei meus filhos, peguei a minha filha menor no colo e entramos no corredor, que em poucos metros, nos levou ao tão grandioso pórtico, e lembro até agora o locutor falando meu nome e dizendo: Parabéns Isaac Razzante, você é um Ironman!!! Passamos juntos, de mãos dadas e abraçados ao mesmo tempo.

Uma emoção imensa tomou conta de mim. Comecei a chorar, e minha filha menor,  sem desconfiar que o  meu era de alegria, também começou a chorar, agradeci muito a Deus, por ter me dado forças de terminar aquela prova. E agradeci a todos que estavam la me assistindo, que mesmo sem me conhecer, sem conhecer a minha história, estavam ali me apoiando e gritando meu nome.

Não consegui me conter e fiz novamente a inscrição para o Ironman Brasil 2014. Com certeza serão novas emoções e novos desafios, mas se Deus quiser, também serão vencidos como esse foi. Um novo relato deve aparecer. Com novos detalhes dessa tão grandiosa prova.

Abraços.

Isaac Razzante Junior

IRONMAN 2013 (assista ao vídeo da prova)

22 ideias sobre “Ironman BRA 2013, crônica Isaac.

  1. cara, achei demais o que vc fez.. minha mae que trouxe o ironman pra floripa em 2001 e desde então vem sendo feito aqui. outra coisa o que vc me indica. sou leigo.. qual bicicleta é bom pra começar? grupo de corrida? nutricionista? sites que eu possa descobrir por mim.. tipo, eu tenho aquela vontade, mas falta um anjo, que diga, essas marcas de bikes são boas pra começar, tennis, enfim.. acho que entendesse!! 2015 se deus quiser me aguarda

    • Legal saber Aderley. Sobre as perguntas que fez, cada marca de bike tem seu modelo bom para iniciantes e avançados, depende de quanto quer gastar. Basta começar uma busca que vai encontrar um modelo. Se seu pensamento é voltado para Ironman, um treinador e nutricionista sem dúvida são bons investimentos. Aqui no blog tenho vários textos relacionados a treinamento para Ironman, mas ter um grupo que treine ciclismo perto de você ajudaria bastante.
      Bons treinos e escreva quando quiser.
      Abraço.

  2. Valeu Eduardo, após o Ironman, descobri que também sei escrever. Quem sabe daqui uns anos estarei escrevendo sobre meu Primeiro Ironman em Kona ? rsrs
    Abraço

  3. Amor…Impossivel não se emocionar com suas palavras!!!!
    Todo o processo de treino…..a prova cumprida…a meta alcançada…só aconteceu por causa do seu esforço, da sua dedicação e responsabilidade com o esporte….mais uma vez PARABÉNS pela sua conquista….Pois só eu sei quanto isso nos custou….mas tudo valeu a pena..!!!!!
    Porque mesmo distante de casa na semana ….no fds….nos feriados..(kkkk), Você conseguiu ser muitoooooo presente nos poucos momentos juntos……
    Agradeço muito a DEUS por estarmos juntos e curtindo cada pedaçinho dessa conquista…obrigada pelo Marido que você é…pelo PAi que vc se tornou…e por tudo que somos!!!!!
    Te amo muitoooo meu IRONMAN…..não só do Esporte mas sim da VIDA!!!!!
    Desejo que em 2014 vc possa superar sua metas!!!!!E com certeza estaremos lá….te apoiando em tudo….uhuhuhuhuhuhuuuuuu…..

    • Amor, seu que o seu apoio e dos nossos filhos foram essenciais para a minha conquista.
      Só tenho a agradecer por todo o seu apoio e compreensão durante as muitas horas que eu estive fora de casa treinando.
      Sua dedicação para cuidar dos nossos filhos foi excelente.
      Muito Obrigado !
      Ano que vem terermos outra história para contar e com certeza será tão bela quanto essa foi.
      Te Amo !

  4. Muuuuiiiiito legal, parabéns pela garra e força de vontade….que bom ter um amigo atleta, nós só vemos pessoas sedentárias ao nosso redor, então é muito bom saber que ainda tem gente como você que gosta de esporte e pensa na saúde….siga em frente amigo….Lislei

  5. Cara, em poucos minutos revivi todos aqueles momentos, e ja me contive novamente para nao chorar, tenho certeza de que se nao tivessemos ido juntos eu, vc e o Léo a prova teria sido mais dolorida. Nunca imaginei terminar a prova da mesma forma que começamos, todos juntos e felizes. Grande abraço a todos que fizeram parte desse nosso episódio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>