Triathlon Internacional de Santos 2014

Foi o 23º ano de uma prova muito legal, mas o mau tempo exigiu que os organizadores tivessem pulso mais firme para ir logo ao plano B, porém…

Estava lá assistindo, torcendo pelos amigos e alunos. O mar estava muito agitado. A largada atrasou quase 1h, e quando as primeiras mulheres começaram a sair da água meu relógio marcava só 16min, achei que as boias não estivessem no lugar certo por causa do mar ainda estar muito agitado, segui para ver o início do ciclismo, quando me deparo com algo inusitado, as mulheres não podiam sair da transição para pedalar, elas começaram a se amontoar, espectadores e atletas gritavam e perguntavam o que estava acontecendo. Ninguém sabia porque estava lá parado, talvez nem mesmo os fiscais de prova, passaram-se alguns bons minutos, e numa manada elas foram liberadas. Depois ouvi que algumas não haviam passado a arrebentação, outras nem nadaram e por isso seguraram todas por alguns minutos antes da bike…

A chuva era incessante e o mar continuava um risco desnecessário, atletas das 2 últimas largadas não nadaram, fizeram-os correr da largada direto para as bikes e outra manada chegou a transição. Eu imaginava o quanto o ciclismo ficaria mais perigoso com a chuva e centenas de atletas grudados, nessa hora vi muitos pegarem suas sacolas e bikes para ir embora.

Enfim, qualquer coisa que eu escreva aqui, é só a minha opinião, baseada no que vi naquele momento do local de onde estava.

O que não entendi foram as escolhas que a organização fez. Talvez a primeira delas tenha levado a erros consecutivos. A prova poderia ter sido duathlon, tão logo eles vissem que o mar oferecia risco acima do normal, esse é o plano B. Deixaria todos os atletas no mesmo patamar, sem o risco do mar perigoso, mais espaçados no ciclismo e com suas classificações fidedignas numa prova igual para todos, mas falar porque o navio afundou depois dele ter afundado é fácil, como citei, talvez a primeira escolha errada, pensando em agradar aos atletas, levou a vários outros erros. As decisões da organização devem visar a segurança dos atletas, alguns sempre reclamam, mas acredito que não teria visto tantas desistências como vi e não teria ficado tão preocupado com o que poderia ter acontecido de mais grave com super pelotões.

Aguardo seu comentário e opinião.

Enzo  Amato

Dicas para o Triathlon Internacional de Santos.

Todos os anos costumo dar algumas recomendações básicas para meus clientes, e como as considero importantes para todos os atletas, principalmente os iniciantes, compartilho-as com vocês.

  1. Faça cada modalidade no limite de esforço que você é capaz de fazer, dentro do limite que você treinou e do clima do dia. Economizar em uma para forçar na outra não resolve. Se você não treinou corrida corretamente, não adianta pedalar devagar;
  2. Faça sua transição da forma mais segura pra você! Se você não se sente seguro em calçar a sapatilha enquanto pedala, então calce-a antes;
  3. Comemore cada etapa cumprida da prova;
  4. Agradeça ao staff pela água ou isotônico, ele ficará horas debaixo de sol ou chuva para te ajudar na prova. Agradecer as pessoas dá um novo gás para continuar bem;
  5. Cuidado ao beber e ao receber água durante o ciclismo, repare antes se há outros atletas perto de você. Sair um pouco da rota é comum nesses momentos e podem causar acidentes graves. A mesma orientação serve para os retornos e cotovelos no percurso. Não há necessidade de ultrapassar nesses momentos se você não está disputando o título;
  6. Beba muita água no dia anterior ao evento;
  7. Chegue cedo para arrumar suas coisas com calma, ter tempo de passar protetor solar e aquecer um pouco antes da largada;
  8. Visualize com detalhes a sequência da transição antes dela acontecer, no fim da natação e no fim da bike, assim você fará a troca com rapidez, mas sem atropelos;
  9. Durante a bike o vento bate no corpo com uma determinada intensidade e equilibra a temperatura interna, mas assim que deixamos a bike e começamos a correr, o vento é bem menos intenso, e se você começar a correr forte, corre um grande risco do corpo aquecer demais e logo ser obrigado a diminuir muito o ritmo da sua corrida podendo ter um mal estar ou até insolação. Por isso faça o primeiro km da corrida mais lentamente que seu ritmo normal, para depois aumentar a velocidade;
  10. Ao passar na frente dos espectadores, grite, comemore, acene. Eles vão retribuir com aplausos e gritos e pode ter certeza que isso dá um gás animal. Esse doping é permitido!
  11. Curta sua prova, ela é seu hobby e não seu chefe!

    A classificação é individual, mas o hobby pode ser coletivo.

Boa prova, e se ficou alguma dúvida, me escreva!

Enzo Amato