Fernanda Maciel, nossa fera racional.

Semana passada a melhor corredora de montanha brasileira, Fernanda Maciel, 4ª colocada na Ultra Trail du Mont-Blanc tentou bater o recorde de ascensão e retorno no Aconcágua (6969m.s.n.m.). Partiu desde a entrada do parque a 2750 aproximadamente, tinha que chegar ao cume e voltar no menor tempo possível.

Ao chegar aos 6mil metros seu estado de saúde estava muito debilitado e ela decidiu voltar, mais abaixo aos 4300m foi avaliada por médicos e resgatada de helicóptero para descer e ser tratada rapidamente dos sinais de edema pulmonar.

Quando estamos na montanha não é só nossa vontade e perseverança que prevalece como quando corremos em ambientes menos extremos, não é só seguir a qualquer custo ou ignorar a dor. Ser mentalmente forte na montanha significa não cometer erros, é saber que dar meia volta é uma possibilidade real, é saber que conquistar o cume é só meio caminho e que ainda é preciso voltar vivo.

Numa clínica oferecida pela Ready4 pude conhecê-la pessoalmente, ela de branco e a Manu Vilaseca.
Foto: Marcelo Fim / MidiaSport

Somos parte da natureza, mas na montanha não estamos no topo da cadeia alimentar, “somos a caça”. Conquistar a montanha só é possível quando ela nos dá permissão, aquela brecha de bom tempo para seguir que coincida com o seu dia bom. É preciso saber decidir enquanto estamos no controle, mas é fácil perdê-lo, o topo da montanha é tentador, a cada passo ele fica mais próximo e morrer de exaustão quando o frio congela, o ar não chega, o raciocínio divaga e a força acaba é até confortável.

Que bom que aconteceu com uma atleta de grande visibilidade e competência como a Fernanda, que soube dar meia volta, que sabia que a montanha continuaria lá e que todos que torcemos nessa temporada estaríamos torcendo na próxima.

Bom tê-la de volta!

Enzo Amato

Clínica com as feras da corrida de montanha.

Já se imaginou nadando com Cielo ou batendo uma bolinha com Neymar? Pra quem gosta de correr foi assim.

Carlos Magno, o mais alto, Manu Vilaseca, eu, Fernanda Maciel, e Marcelo Sinoca – (Foto: Marcelo Fim)

A clínica com os corredores(as) de montanha da marca The North Face aconteceu em Cotia, na grande SP.

Meu grande motivador para participar era poder conhecer de perto a Fernanda Maciel, 4ª colocada na famosa Ultra Trail Du Mont Blanc, de 168km, e quem sabe correr um pouco ao lado dela. Esse estopim acabou me dando o grande prazer de conhecer de perto outros atletas que entraram para minha restrita lista de atletas profissionais que admiro.

Eram 5 estações com temas diferentes onde cada atleta falou sobre um deles, éramos cerca de 40 pessoas divididas nessas 5 estações, o que acabou deixando a conversa bem mais pessoal com grupos pequenos que trocavam de estação a cada meia hora mais ou menos, comecei ouvindo a Manu Vilaseca falar sobre a parte mental de enfrentar essas provas longas, a Rosália Guarischi sobre a realidade de todos nós, inclusive a deles, de encontrar tempo para treinar e trabalhar, depois o Marcelo Sinoca sobre as minúcias de escolher bem os equipamentos adequados para as condições da prova que vai enfrentar, aí passei para o Carlos Magno que falou sobre estratégias de prova e finalmente a Fernanda Maciel que contou sobre a preparação dela para arrasar na UTMB 2014 encarando outras provas duras como treino.

Suando a camisa
(Foto: Marcelo Fim)

Depois do café da manhã, e dessa parte teórica, encaramos a trilha com os atletas que deram dicas valiosas tanto para corredores experientes quanto para iniciantes, desde travar o abdômen nas descidas até como usar os bastões com agilidade nas subidas, então passamos para o almoço e mais momentos de interação com todos, inclusive fotos.

Como treinador o que pude aprender ouvindo cada um deles é que mesmo os atletas que brigam pelos primeiros lugares passam por altos e baixos motivacionais durante as corridas e que além da capacidade de correr mais rápido que a gente, eles também desenvolvem uma força mental muito grande para continuar. Pude também perceber no discurso de todos eles que o prazer de correr vem em primeiro lugar, seguido da capacidade de treinar e da força mental para contornar as dificuldades, é um processo evolutivo que podemos associar ou comparar com qualquer esfera da nossa vida, tanto na pessoal e profissional, quanto na esportiva.

Rosália, Lu que organizou o evento e eu.

Outros detalhes pessoais citados por eles servem para nos ensinar que a essência está em adaptar tudo para a nossa realidade a partir da prática, ou seja, não é necessário correr sem meias como o Carlos Magno, ou de short em provas com temperaturas negativas como o Sinoca, mas sim descobrir o que funciona para cada um de nós através da prática, dos erros e acertos, para que tudo culmine no prazer de se desafiar e nunca parar de explorar. Depois de mais de 18 anos de corrida pude aprender um pouco mais com eles, pena que estava tão embasbacado por estar tão perto deles que as perguntas que eu tinha na cabeça sumiram, mas me conforta lembrar de um professor que dizia que quando saímos de um curso com mais perguntas do que quando entramos é porque aprendemos algo.

Espero poder encontrá-los mais vezes antes da próxima clínica.

Enzo Amato

Clínica Trail Run Challenge.

Talvez num futuro distante seja possível juntar feras do trail running numa clínica/workshop para falar do assunto, mas hoje, com atletas renomados aqui e no exterior, a oportunidade é única.

Foto: Thiago Diz

Recentemente fui a uma corrida onde o Marcelo Sinoca estava presente, e num dos postos de abastecimento me ofereceram macarrão, peguei meu prato, sentei e comi rápido, mas mesmo assim perdi uns minutos para isso, no dia seguinte perguntei pra ele se havia comido o macarrão, pois como era um dos favoritos, fiquei curioso para saber se perdia tempo com isso ou só comia o que levava consigo. Ele respondeu que comeu sim, colocou o macarrão num copo e saiu correndo sem precisar parar…simples e fácil assim, vivendo e aprendendo!

Já comecei a anotar as perguntas que quero fazer para eles e elas…como comer macarrão eu já sei, o que mais comem, como treinam para as ultras, de onde tiram forças durante provas de mais de 160km numa tacada só…???

Tantas curiosidades, que certamente vão agradar a quem está se aventurando nas corridas pelas trilhas desse mundo.

Programação:

  • 8:00 – 8:30 hs – Recepção / Coffee
  • 8:40 – 11:30hs – Parte Teórica com atletas The North Face – Fernanda Maciel, Marcelo Sinoca, Manu Vilaseca, Carlos Magno, Rosalia Camargo
  • 12:00 – 13:30hs- Parte prática em trilha
  • 13:30 – 14:30hs – Almoço
  • 15:00hs – Interação com os atletas The North Face

Local: Espaço Buona Fortuna http://www.espacobuonafortuna.com.br

Rua dos Agrimensores, 770

KIT exclusivo do evento.