Corridas ainda para 2015

Ainda dá pra treinar firme para encaixar uma prova em 2015 aproveitando o condicionamento conquistado no ano. Veja algumas provas legais que unem lindas paisagens, percursos desafiadores e por que não, uns dias de passeio.

  • Nacionais

Mountain Do Costão do Santinho – Florianópolis SC – 27 de junho (visite o site do evento) 42, 22 e 8km

K21 Maresias – Litoral norte de SP – 18 de julho, 21, 10 e 5km (visite o site do evento)

KTR Campos do Jordão Serra da mantiqueira SP – 8 de agosto, 42, 21 e 12km (visite o site do evento)

Indomit Vila do Farol – Bombinhas SC – 15 de agosto 42km, 2x21km e 12km (visite o site do evento)

Mountain Do Lagoa da Conceição – Florianópolis SC 3 de outubro, 70km em revezamento de 2, 4 ou 8 atletas (visite o site do evento)

Desafio Praias e Trilhas – Florianópolis SC – 17 e 18 de outubro, 84km em dois dias (visite o site do evento)

Indomit Costa Esmeralda – Bombinhas SC – 07 de novembro, 100, 80, 50, 21 e 12km (visite o site do evento)

  • Internacionais

Yaboty Ultra Marathon – Misiones – Argentina fronteira c/ Brasil, 100, 70, 42, 26 e 12km (visite o site do evento) inscrições disponíveis no MidiaSport.

Patagonian International Marathon – Puerto Natales, sul do Chile, 26 de setembro 60, 42, 21 e 10km por estradas de cascalho no Parque Nacional Torres del Paine. (visite o site do evento)

Ultra Trail Torres del Paine – Puerto Natales, sul do Chile, 3 de outubro 100, 50, 25, 10km e km vertical, por trilhas do circuito W do Parque Nacional Torres del Paine (visite o site do evento)

Vulcano Ultra Trail – Puerto Varas, Chile, 5 e 6 de dezembro 100, 73, 42, 21 e 13km ao redor do vulcão Osorno (visite o site do evento)

Yaboty Ultra Maraton e Fiambala Desert Trail

Duas das provas mais legais na Argentina tem inscrições disponíveis no MidiaSport.

Yaboty Ultra Marathon (maior corrida non stop de selva) 19/09/2015

Essa está na minha lista, paisagem de floresta perto da divisa entre Brasil e Argentina na província de Misiones, com 5 distâncias para avançados e iniciantes 12, 26, 42, 70 e 100km. Clique para inscrição.

Fiambala 2014
Foto: Paolo Avila

O mesmo organizador promove uma corrida em deserto, a Fiambala Desert Trail, 6/6/2015 a prova é toda por areia, num cenário maravilhoso com montanhas de mais de 6mil metros ao redor, algo realmente inóspito e diferente, fiz 80km em 2014 (clique e assista ao vídeo) e para 2015 parece que a logística ficou mais fácil para a torcida com largada e chegada no mesmo local. Província de Catamarca com 10, 35, 54 e 95km. Clique para inscrição.

Ambas tem inscrições disponíveis pelo MidiaSport.

Vídeo Ultra Maratón Aconcágua

Frustrante!

No regulamento de toda corrida a organização coloca que por motivo de força maior eles podem cancelar a prova.

Na maior montanha do mundo fora dos Himalaias, largando a 2750 metros de altitude e passando dos 4mil, sendo 25km subindo e outros 25 descendo, frio, vento, pedras, mudanças repentinas de clima e o motivo de força maior foram 20 sindicalistas.

Clique e leia em detalhes.

Enzo Amato

Fiambalá Desert Trail – Argentina

Fiambalá Desert Trail, vou subir mais um degrau nas ultras e para isso escolhi uma prova diferente e desafiadora, não só pela distância, mas pelo terreno, clima e altitude.

Existem 5 grandes corridas em deserto no mundo, em sua maioria nos grandes desertos africanos: Sahara Race (Egito), Marathon des Sables (Marrocos), 100 milhas (Namíbia), 100km Sahara (Tunísia) e Desert Race (Omã).

Fiambalá será a maior proposta acontecendo na América, dia 07 de junho 2014, na casa dos vizinhos argentinos, e uma das melhores corridas de deserto do mundo, pela beleza de suas dunas e montanhas, por suas paisagens imponentes e por ser em altitude.

Quando se pensa em deserto, o que vem na cabeça é calor e areia, porém a corrida será no inverno e a mais de 1600 m.s.n.m. por isso é muito provável que as largadas dos 80 e 50km aconteçam com temperaturas perto de zero, ou até negativas, podendo chegar até 29º a medida que vá passando o dia.

No percurso a areia será o principal obstáculo e não somente a distância ou o desnível.

3 opções de percurso:

80k: 66km areia + 10km terra + 4km asfalto
50k: 40km areia + 6km terra + 4km asfalto
27k: 23km areia + 4km asfalto

Em breve mais novidades.

Enzo Amato

Endurance Challenge Argentina

O que mais me atrai no circuito Endurance Challenge, que nasceu nos EUA, mas já invadiu a América do Sul, é o foco de curtir seu hobby na natureza e ter compromisso com o meio ambiente, ou seja, não é só por correr. Desde o início a The North Face é a patrocinadora e a frase “nunca deixe de explorar” já diz tudo e tem a cara da prova.

Já participei de etapas aqui no Brasil, em Ilhabela, e no Chile, em Santiago, agora chegou a vez da Argentina, mais precisamente no Cerro Catedral em Bariloche dia 09/11/2013. O circuito contempla os iniciantes do trail running com 10 e 21km e os mais avançados com 50 e 80km, sempre largando em diferentes horários.

Vou mais uma vez para 50km neste ano, e bastante animado. Poder observar as montanhas lá do alto, e correndo, é um dos prazeres das corridas em trilha.

Ainda dá tempo de se inscrever e para chegar até lá basta fazer conexão em Buenos Aires, pegar outro voo até Bariloche e se hospedar por lá mesmo. O Cerro Catedral fica a 19km com ônibus público a cada meia hora ou táxi.

A etapa de 2014 já tem local e data, San Martín de los Andes 23/03.

Enzo Amato

K21 San Juan – Argentina

Por Paula Di Luciano

Em San Juan o sol brilha mais de 300 dias ao ano e o nível anual de chuva não passa dos 250 mm, (no sudeste do Brasil é mais de 1500mm) mas no dia da corrida o sol não quis aparecer e o frio foi uma barreira a mais, pelo menos pra mim, que sou sanjuanina, mas já tenho termômetro brasileiro.

Dia de treino no percurso dos 21km, com o sol já conhecido.

A temperatura não superava os 5 graus na hora da largada da segunda edição do K21 San Juan que, apesar do frio já esperado por ser inverno, reuniu mais de 600 competidores no Dique de Ullum a uma distância de 14 km da cidade de San Juan, que fica na pré Cordilhera dos Andes, 1400 km a oeste de Buenos Aires, 160 km ao norte de Mendoza e também produz bons vinhos, porém menos exportados.

A corrida tinha dois circuitos, 21Km e de 10Km (claro que eu fiz o de 10!), ambos largaram às 11 da manhã de um dos clubes de campo que fica à beira do dique. Com paisagem desértica o percurso fazia os competidores transitarem por rios secos e cerros (morros), com apenas 3 km de asfalto, quem fez os 21k teve muito para se entreter subindo e descendo entre as montanhas do vale, chegando a uma altura de 1.051 metros passando por lugares desafiadores, e para completar, lá em cima caía o que chamamos de “água nieve” que é a chuva congelada, ou seja, estava frio mesmo!

Durante o percurso, todos com a camiseta da prova por cima das roupas de frio.

As pessoas que moram em San Juan estão acostumadas com os circuitos de montanha, a maioria dos grupos treinam naquela área, mas tinham também pessoas de diferentes partes da Argentina que acharam o circuito muito exigente, ao mesmo tempo que estavam maravilhadas com a paisagem. Pra se ter ideia da dificuldade, os primeiros colocados nos 21km masculino e feminino respectivamente completaram o percurso em 1h45 e 2h16. Eu que faço 10km no asfalto em 1h, levei 1h50.

O primeiro posto de hidratação estava no km 5, e o segundo no km 7, eu não senti sede, talvez porque não tinha sol, nem calor,  mas se tivesse água antes teria tomado, acho que eu era das poucas pessoas que não levava um cinto com garrafinhas d’água, no caso dos 21k todos os corredores levavam cinto ou mochila. A água que nos davam parecia recém tirada da geladeira, mas na verdade estava na temperatura ambiente.

Na vestimenta quase todas as pessoas usavam uma primeira pele de manga comprida, boné, ou cuellito(bandana) que a organização fornecia, a camiseta da prova, e alguns também um corta vento. Eu não cheguei a sentir calor, só tinha uma camiseta manga comprida de poliamida e a camiseta da prova, realmente o sol fez falta ou mais agasalho. Todas as pessoas pareciam muito bem equipadas para o frio, eu achei que iria esquentar durante a corrida, mas isso não aconteceu e poderia ter levado uma primeira pele ou um corta vento.

Cada kit esperando por seu corredor.

A retirada do kit foi no dia anterior a prova em um hotel da cidade, e muitas pessoas fizeram sua inscrição de última hora no próprio local. No domingo, às 10h30, antes da largada teve uma pequena palestra técnica, que eu não escutei porque estava na fila do banheiro feminino, rsrs…

Minha amiga de infancia Anheli, já agasalhada, e eu logo após terminarmos a prova com um improvável céu nublado em San Juan.

Via enfermeiros da Cruz Vermelha e uma equipe reforçada de colaboradores na parte alta do circuito de 21Km. Frutas e gatorade a disposi na chegada.

Foi minha primeira corrida fora de estrada e adorei, os percursos desafiaram tanto os experientes quanto os novatos, como eu. Os organizadores estiveram sempre presentes e prestativos.

Para chegar em San Juan desde São Paulo, basta fazer conexão em Buenos Aires, e o voo Buenos Aires – San Juan dura 1h40. Outra opção é desde Mendoza pegar um carro, são aproximadamente 2 horas dirigindo pela Ruta 40. Nos arredores da cidade é possível visitar vinícolas e estabelecimentos onde se elabora azeite de oliva.

Quem tiver interesse em um circuito similar de montanha, no próximo 29 de setembro acontece a quarta edição do K21 San Rafael, ao sul da província de Mendoza, com uma temperatura mais amena por já ser na primavera.

Em breve o vídeo da prova estará disponível aqui no blog e no MidiaSport.

Paula Di Luciano