Correr no calor, extremo!

Sempre que quero comparar algo, tento pensar nos opostos extremos e a partir daí estabelecer o que me importa de verdade, o que tem mais peso dentro do que vou enfrentar e o que é mito.

O Davi já explicou, lá do Canadá, com grande riqueza de detalhes a corrida no frio extremo, agora explico o oposto, correr no calor, escrevi enquanto estava lá na Argentina, numa cidade chamada San Juan, perto da cordilheira, com temperaturas que diariamente beiram os 40° no verão, aridez, sol a pino e umidade relativa baixíssima. E acreditem, a maioria das pessoas sai para praticar esportes na hora da siesta, às 14 horas. Então também fui, e reparei no seguinte.

Céu parcialmente nublado, rsrsrs, chuva é raridade por lá.

O primeiro ponto é entender como o corpo reage ao calor.

Em pouquíssimas e singelas palavras, nosso corpo produz calor para manter-se vivo, e mais ainda para executar movimentos, como a corrida. Quando a temperatura interna se eleva o corpo sua, o suor molha nossa pele e a brisa faz com que essa combinação baixe a temperatura corporal, até que o ritmo do exercício, temperatura interna e externa entrem em equilíbrio aceitável, e permitam que você corra sem problema.

Normalmente no Brasil não passamos por temperaturas extremas, ou grande amplitude térmica, mas é impossível escrever de forma geral para pessoas que moram em Belém, Brasília ou Porto Alegre, por isso cada um deve adaptar o texto a sua realidade, seu tom de pele e resistência ao calor.

Ao iniciar a correr é importante começar bem devagar para que o corpo possa regular a temperatura corporal de acordo com o ambiente, e aos poucos, equilibrar com a intensidade do exercício. Outro detalhe importante que percebi, que de tão importante deixa de ser apenas detalhe é que durante a corrida foi impossível chegar a minha velocidade normal de treino que costumo fazer em SP, ou seja, por mais bem treinado que eu estivesse o ambiente é que determinava em que ritmo eu poderia correr naquele dia. Lutar contra isso seguramente acabaria com minha corrida antes da hora.

Claro que tudo depende de quanto tempo se vai correr, num trote de meia hora é provável que eu só sentisse calor, mas para algo mais longo ou uma maratona todo cuidado é pouco, pois os descuidos do início são cobrados com juros no final, a ponto de comprometer a saúde.

Os pés ferviam, fiz questão de colocar as mãos no asfalto, na linha branca e na terra, suportei só por alguns segundos, mas a terra era bem menos quente que os outros dois. É importante que se use boas meias e proteção embaixo dos pés, como esparadrapo ou vaselina para evitar bolhas, pois a pele fica muito sensível e frágil, principalmente com subidas, descidas e mudanças de direção, comuns em corridas em trilha, por ter mais atrito do pé com o tênis. Tênis que ventilem e de preferência de cor clara, os impermeáveis esquentam mais os pés.

Protetor solar próprio para esporte, ideal passar também em todo tronco, pois a maioria das camisetas não protege contra o sol. Quem tem pele muito clara e sensível sabe disso.

Protetor labial, pois a boca é mais sensível que a pele, e herpes labial é frequente no calor.

Camiseta de cor clara e de tecido próprio para corrida, que facilite a eliminação do suor, material ideal é a poliamida, basta ver na etiqueta.

Óculos de sol e que protejam as laterais também, pois da mesma forma que sua pele queima com o sol, a retina também queima e precisa da proteção de um bom óculos de sol.

Boné, também de cor clara, ideal se for do tipo legionário, que protege as orelhas e nuca.

Água, em lugares muito secos como esse que eu estava, além de beber você pode usar para molhar as narinas para o ar chegar um pouco mais úmido para os pulmões.

Ter documento e dinheiro num plástico para não molhar, poder comprar água se preciso, ou mesmo te identificar em caso de acidente.

Pude perceber que quanto mais protegido você estiver, menos chances terá de sofrer com insolação, queimaduras, bolhas, assaduras desidratação etc… Por isso estar preparado pode fazer a diferença.

Se ficou alguma dúvida ou se me esqueci de algum item importante, escreva e compartilhe com os leitores.

O ser humano se adapta a tudo, calor ou frio basta ir prevenido e aproveitar seu hobby.

Enzo Amato.

6 ideias sobre “Correr no calor, extremo!

  1. Prezado Enzo

    Gostaria de saber como vc faz para proteger o pé do calor intenso, eu moro numa região que é quente e chove muito, e dai fica a dúvida como proteger o pé, pois em um dia quente e seco de repente chove no meio do treino, o que fazer?
    Desde já agradeço.

    • Natan, dá pra pensar em usar meias claras de poliamida, depois escolher um tênis que seja mais confortável pra você, tênis preto e com a trama mais fechada esquentam mais.
      A pele do pé fica mais “mole” e pode causar bolha com qualquer roce, por isso passar vaselina nas partes mais susceptíveis ajuda muito também.
      É um conjunto de medidas que podem ajudar a amenizar porque em dias muito quentes o pé esquenta também.
      Acho que esses 3 pontos vão te ajudar bastante.
      Abraço.

  2. Dicas como esta,só vem acrescentar para corredores iniciantes,e amadores como eu,pois estamos acostumados a correr de manhã,ou a noite.
    E tem muita prova que se estende,como 1/2, e Maratona até 1/2 dia ou mais !!!
    Valeu pelas excelentes informações.

  3. Olá Enzo, excelente seu blog. Vou correr no Atacama agora em março, tenho 3h:40m na maratona de Porto Alegre, qual seria o pace aproximado para o Atacama?

    Um abraço

    • Olá Lisandro, tudo bem?
      O começo cada um vai poder sentir o que dá pra fazer, mas sem dúvida aquecer entre 6 e 7min por km aproximadamente, e só depois tentar encontrar seu ritmo para aquele dia e aquela prova. A prova não será só completar os 42km, mas encontrar o ritmo certo num ambiente que não estamos acostumados.
      Nos vemos no Chile, abraço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>